O Poder das Cênicas

Quando a sociedade se perde em individualidades e preconceitos é preciso dar um passo atrás e procurar formas de reverter o caos da atualidade. Talvez a solução esteja na delicadeza do teatro.

 

Em meio ao caos da desumanidade que irradia pela sociedade moderna, Campo Feito de Sonhos – Os Teatros do Sesi propõe a investigação do desejo de ser e compartilhar, por meio da aceitação e harmonização das diferenças. À escrita de um trabalho genuinamente humano, Sônia Machado de Azevedo pretende um estudo sobre educação estética, para provar, através do estudo de depoimentos e entrevistas, que vive no teatro a missão de ser utilidade pública, de ser político e agente de transformação social.

 

campo-feito-de-sonhos_3d_e339

 

Através da exploração e escuta das cidades, e respeitando a máxima da liberdade de expressão, Campo Feito de Sonhos procura entender como a inserção do teatro no âmbito social pode ser extremamente eficaz na redução de estigmas e preconceitos, conferindo à comunidade a possibilidade de aprofundamento das relações sociais. Sônia Machado de Azevedo, em tom extremamente otimista, parte na incumbência de compreender como as artes cênicas atuam nas comunidades, a partir de propósitos verdadeiramente altruístas. A autora propõe um estudo sobre o poder do teatro, sobre o valor e a importância da estética na reflexão e sobre a recepção do teatro nas vivências e convivências. Campo Feito de Sonhos defende que o teatro seja usado como projeto de inserção, desenvolvendo cidadãos conscientes de suas personagens enquanto atores e autores de seus próprios efeitos.

 

A fala propiciada pelo teatro, conquanto detonadora de desenvolvimento pessoal e social, enquanto mola para a modificação de situações práticas da vida comunitária é poderosa arma contra a exclusão, qualquer que seja ela. É preciso deixar claro que a exclusão de que falo não é apenas a exclusão social e econômica; falo da exclusão das crianças, porque são crianças, porque não param quietas, ou porque são quietas demais; da exclusão dos jovens, de qualquer classe, porque não se comportam como a sociedade acha que deveriam se comportar; penso na exclusão dos velhos, e de sua indesejável e aflitiva velhice, porque já nada mais produzem; dos homens e mulheres que nem sempre são compreendidos dentro da sua própria família, porque de alguma maneira diferem daquilo que se espera deles. O teatro, como manifestação artística socialmente aceitável, tem o poder de inserir, no todo social, pessoas que, de outro modo, sentir-se-iam excluídas. […] Partindo da prática, nosso trabalho comprova o que Schiller propõe: que é possível uma educação pública através da arte, e que essa educação pressupõe facilitar a  inserção humana nos terrenos da cidadania e da ética entre cidadãos. Esse pressuposto schilleriano, que a prática investigada nos Núcleos de Artes Cênicas do Sesi só fez comprovar, foi complementado, na escrita, com auxílio de autores mais recentes que abordam questões estéticas, tanto em seus processos formativos que abrangem estudos de psicanálise e estética, arte e psicanálise, arte e processos terapêuticos,  apreciação e prazer estéticos, com nomes como o de Luigi Pareyson, Frayze-Pereira, Peter Füller. O estudo reflete também o olhar que vem da psicologia social com nomes como o de Ecléa Bosi, José Carlos Moura e Hannah Arendt, com conceitos preciosos.

 

so%cc%82nia-de-azevedo-6Mestre e doutora em Teatro pela USP, trabalha com criação artística em teatro, dança e performance desde os anos de 1970. Atriz, dançarina, diretora, dramaturga, professora de teatro e apaixonada pelo movimento expressivo, participou de montagens teatrais, tanto escolares e amadoras quanto  profissionais. Sua produção literária compreende também a prosa de ficção e a poesia. Por 17 anos respondeu pelo setor de artes cênicas do SESI-SP. É filiada à Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas (Abrace) e participa do GT de Etnocenologia. Leciona Práticas Corporais e  Ensino do Teatro na graduação, além de coordenar curso de Pós- Graduação em Corpo e dar aulas nos cursos de Direção e Arte voltada para a Educação na Escola Superior de Artes Célia Helena.

 

 

 



LEIA TAMBÉM!

 



O lançamento oficial de Campo Feito de Sonhos: Os Teatros do SESI será dia 27 de setembro, na Livraria Cultura! Não perca!

social

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s